Entenda Realidade virtual e suas aplicações

A realidade virtual promete revolucionar a educação, o esporte, os games, treinamentos e o mercado imobiliário. Quer saber como? Gostaria de entender como funciona? Como implementar para seu negócio? Confira esse pequeno compilado sobre realidade virtual que preparamos para você. Se tiver sugestões ou comentários, não hesite em fazê-lo! Se curtir, compartilhe! E fale conosco em Apps for your event.

Realidade Virtual normalmente se refere a uma tecnologia que utiliza de headsets (óculos) de realidade virtual, algumas vezes em combinação com espaços físicos específicos, para gerar imagens realistas, sons e outras sensações que simulem a presença física do usuário em um ambiente imaginário ou remoto. Uma pessoa utilizando equipamento de realidade virtual é capaz de olhar a sua volta nesse mundo artificial, possivelmente mover-se dentro dele e interagir com funcionalidades virtuais.

Os dispositivos de Realidade virtual são normalmente óculos, com telas em frente aos olhos. Os aplicativos costumam incluir áudio e devem ser utilizados com fones de ouvido, possibilitando a imersão completa no mundo virtual.

Não confunda “Realidade Virtual” com “Realidade Aumentada”. Visto que a confusão é comum, faço uma breve explicação para simples diferenciação:

  • realidade virtualRealidade virtual: Uso de óculos para imersão em um ambiente virtual, seja fictício ou remoto; 

 

 

 

 

  • augmented-reality-iphoneRealidade aumentada: Uso do próprio smartphone ou tablet para interação com o mundo real em tempo real a partir do reconhecimento de imagem ou vídeo.

 

 

 

 

A realidade virtual pode, portanto, ser utilizada como dispositivo de telepresença, permitindo que duas pessoas distantes se sintam próximas. Além disso, vibrações, forças contrárias e outras sensações táteis podem ser utilizadas para acrescentar realismo ao VR.

A maior parte das implementações e displays atuais de VR utilizam óculos desenvolvidos para funcionar com smartphones, tornando a aplicação extremamente acessível. Alternativamente, surgiram óculos e plataformas integradas, sem a necessidade do smartphone, que incluem sensores de movimento, acelerômetro, giroscópio e etc. Veja os dispositivos mais comuns atualmente:

  • google cardboardGoogle cardboard: Versão em papelão, encontrada a partir de R$20 no Brasil, que permite o encaixe de um smartphone e necessita de um fone de ouvido para receber o áudio. Solução simples e barata que permite que praticamente qualquer pessoa se envolva no mundo do VR;

 

 

 

 

 

 

  • samsung gear vrSamsung VR: Um óculos desenvolvido pela Samsung, também desenvolvido para uso conjunto com um smartphone. Já trás integrado botões para navegação no conteúdo VR, permitindo maior interação com a realidade virtual. Necessita de um fone de ouvido, de preferência bluetooth, para recepção do áudio;

 

 

 

  • oculus riftÓculus Rift: Dispositivo autônomo, que não requer a necessidade de um smartphone ou fone de ouvido. Novos lançamentos permitem a integração de dispositivos para as mãos, possibilitando um novo nível de interação com o mundo virtual.

 

 

 

 

 

A realidade virtual, portanto, requer um dispositivo e uma aplicação (conteúdo) que rode nesse dispositivo.

A aplicação pode ser um vídeo filmado em 360 graus ou mesmo uma transmissão ao vivo. Jogos transmitidos em 360 graus são uma das promessas de revolução no mundo esportivo. Imagine poder acompanhar o jogo de dentro do estádio, com a total sensação de imersão, vendo a torcida, o campo, os atletas, todos a sua volta. O mais próximo possível de uma ida ao estádio – que diga-se de passagem, continua insubstituível.

A aplicação pode, além disso, ser um game, um ambiente completamente virtual. Um cenário de guerra, de esporte, de boxe. Um datacenter, o corpo humano, um computador.

Visto que estamos em um mundo digital, filmagens em 360 graus permitem processamentos digitais incluindo banners, informações, guias, placas, tornando-se uma possibilidade interessante para treinamentos, apresentações, simulações, demonstrações de empresas, marcas e escolas.

O conteúdo digital pode ser navegável pelo usuário, possibilitando tours por museus, cenários históricos, apartamentos a venda, terrenos. Visualize, portanto, as inúmeras possibilidades de aplicação!

O facebook aposta que VR é o futuro e demostrou ano passado um chat em realidade virtual:  https://www.cnet.com/news/facebook-mark-zuckerberg-shows-off-live-vr-virtual-reality-chat-with-oculus-rift/

Outro grande impulsionador da realidade virtual são os dispositivos de gravação em 360o. Novos devices, cada vez mais acessíveis, podem captar vídeo em alta definição com 2 câmeras angulares em 360 graus. Alguns exemplos são:

samsung gear 3601. Samsung Gear 360: A partir de R$1.000 no Brasil. Versões para uso integrado ao Samsung galaxy e versões independentes. http://www.samsung.com.br/gear/360/?cid=br_ppc_google_wearablesaon_isb_20170419-rlsa-camera_360-b-bmm-camera-360-samsung-rmkt-cpc&gclid=CjsKDwjw6qnJBRDpoonDwLSeZhIkAIpTR8LfwSszt5oUzoPw1PWEa7p4Q3lRm5DNZ0Aqcxk5_MqhGgI86vD_BwE

 

 

 

Insta 360 nano2. Insta 360: Funcionamento acoplado ao smartphone, dupla câmera  e preços  a partir de R$1.300 no Brasil. https://www.insta360.com/

 

 

 

 

 

 

Ricoh theta camera3. Ricoh Theta: Filma em 360, dupla lente, independentemente do smartphone, com preços a partir de R$1.500 no Brasil. https://theta360.com/en/

 

 

 

 

 

 

 

Apesar dos preços salgados no Brasil, nos EUA essas câmeras começam a ser comercializadas a partir de USD129. Acessível para o americano médio. Chegaremos lá.

As aplicações de realidade virtual na vida das pessoas e empresas são vastas e novas ideias têm surgido dia após dia. Faço uma pequena síntese de alguns casos de aplicação de VR:

  1. Transmissão de jogos esportivos: Futebol, volley, natação, futebol americano, atletismo. Pense em um esporte e imagine-se dentro dele. Uma palavra: Fantástico!
  2. Educação: Leve seus alunos a Atenas. A Atenas de hoje e a da Grécia antiga. Tudo se torna possível com realidade virtual aplicada à educação;
  3. Treinamento de empresas: Imagine serviços de manutenção com elevado índice de periculosidade, como manutenção de subestações, manutenção de linhas vivas de transmissão, usinas, siderúrgicas. Leve seus técnicos e engenheiros a simular e testar suas habilidades em um ambiente virtual antes de entrar efetivamente no ambiente real.
  4. Telepresença: pense em uma videoconferência com imersão total no ambiente remoto. Você pode realmente participar de uma reunião.
  5. Eventos: É difícil demonstrar um produto, um prédio, um datacenter? Não mais. Filme seu espaço em 360 graus e leve-o contigo. Permita ao seu visitante experimentar sua solução ali mesmo;
  6. Imóveis: Investimentos em maquetes e apartamentos decorados são caros e uma grande ferramenta de vendas. E se cada corretor pudesse levar consigo todos os apartamentos decorados?
  7. Lotes: Porque não levar seu futuro comprador para dentro da visto do seu futuro lote? Com VR é possível;
  8. Games: Um salto de imersão nos jogos atuais. Sinta-se ainda mais dentro desses novos ambientes.

Enfim, estamos engatinhando nas aplicações e acesso à essa tecnologia. Muita coisa interessante virá por aí nos próximos meses.

Como sempre, ressalto que soluções digitais e virtuais jamais substituem a boa e velha experiência física. O Olho no olho, toque e abraço. Um chute na bola ou uma visita ao estádio. De qualquer forma, bem utilizada, a realidade virtual e demais soluções digitais podem acelerar vendas, facilitar aprendizagem e aproximar pessoas.

Se quiser conhecer um pouco mais sobre a tecnologia e como ela pode ser útil ao seu negócio, fale conosco em: Appsforyourevent.com .

Se curtiu, compartilhe, comente!!

Recomendo, adicionalmente, o post sobre inovações no mundo dos eventos: 7 MANEIRAS DE ENGAJAR E IMPACTAR SUA AUDIÊNCIA COM APPS E TOUCH TVS EM SEU PRÓXIMO EVENTO

Fontes: wikipedia, samsung, oculus

Imagens: thenextweb.com

Related Posts

Leave a comment